Violência doméstica, uma epidemia mundial

Por Amanda Cabral, Efai Rocha e Mabline Martiniano



Violência é crime!



No Brasil, em pleno século XXI, o número de denúncias de violência doméstica vem aumentando assustadoramente. Em 2012, a Central de Atendimento à Mulher (180) contabilizou 732.468 registros de denúncias, sendo 88.685 relatos de violência.

Não estamos dizendo que antigamente não existia este tipo de crime, mas apenas há alguns anos as pessoas vieram a ganhar voz através de leis governamentais, como a lei Maria da Penha, nº 11.340, que possibilitou a prisão em flagrante, ou preventiva, dos agressores de mulheres no seio familiar. Só assim, os brasileiros começaram a se conscientizar da gravidade desse problema.

Em 2012, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou, por meio de uma pesquisa realizada, que 10% de 107 mulheres entrevistadas nos sete estados da região norte do Brasil relataram que já haviam sofrido algum tipo de violência doméstica, enquanto 25% delas responderam que ainda sofrem agressões em casa.

No nosso distrito não é diferente. ­­“Ocorrem muitos casos de violência doméstica em Nova Mutum Paraná. Os mais frenquentes são de violência corporal e ameaça contra mulher. Os motivos das agressões são banais, como discussão familiar gerada, principalmente, pelo abuso de bebidas alcoólicas”, nos contou o Delegado da Policia, Marcos Barp de Almeida.

Uma moradora, que não quis se identificar, nos contou um pouco sobre seu drama familiar. Ela disse que depois da primeira agressão, se a mulher não fizer nada, a atitude do marido será frequente. “Nunca denunciei por acreditar em suas promessas de mudança. Ele prometia que iria mudar e isso se misturava com o medo, a vergonha e a humilhação que sentia e faziam com que eu não o denunciasse”.

O sofrimento dos filhos

Os filhos também sofrem nessa situação, ”por muitas vezes minhas filhas viam as agressões, elas ficavam com medo do pai, ficavam revoltadas, mas eu sempre conversava com elas, falava que o papai não era assim, estava nervoso e que não queria ter feito aquilo. Mas, sempre ele fazia com que eu acreditasse que a culpa era minha por não ter obedecido ele”.

“Os filhos que são criados em lar com violência, futuramente vão achar normal bater ou apanhar. Uma coisa é certa, violência só acontece por falta de diálogo, amor e companheirismo”, nos contou uma vizinha da família.

Apesar da maioria dos casos denunciados serem de violência contra mulheres, isso também acontece com crianças, adolescentes e até mesmo homens adultos.

É preciso mudar essa triste realidade.

Se souber de algum caso, faça sua denúncia por meio do número 197. A sua identidade será preservada. A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA É CRIME!

#rondonia #MablineMartiniano #Violênciaécrime #Brasil #AmandaCabral #novamutumparaná #Violênciadomesticaumaepidemiamundial #denuncie #EfaiRocha

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo